Siga-me no Twitter

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

INSENSÍVEL CANIBAL

Não consigo esquecer

Das loucuras que passei

Pois minha mente ainda sofre

Com os efeitos da ilusão

Eu era um canibal

Que devorava o meu ser

E alimentava minha estúpida rebeldia

O mundo brilhava nos meus olhos

E eu!

Nem o enxergava

Com o passar do tempo

Me tornara mais insensível

Tão insensível que me tornei um animal

Consumido e fatigado.

Autor: Claudemir O. Santos

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

PROJETO "USE ARTE"



No Dia 01/12/2009 na Casa do Artesão de Araguaína foi realizado o lançamento do Projeto “USE ARTE onde foram apresentadas camisetas com poemas de escritores de nossa cidade. Uma iniciativa da Secretaria de Cultura de Araguaína. O evento contou com o especial show musical com Luiz Tupiniquim e Sheron Lee.
A ACALANTO agradece os esforços da Secretaria de Cultura de Araguaína – Tocantins.
Edição: Claudemir e Alaiz

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Doce loucura

Algo estranho acontece em meus pensamentos
Alguma coisa estranha me sufoca,
Me angustia,
Me amarra.
Algo estranho em meus sentimentos.
Amores...
Paixões...
O estranho amor que sabe amar.
O amor verdadeiro que encanta uma dama
Uma mulher...
A realeza...
A donzela.
Nos olhos desejosos do poeta,
Que Estranhamente enfeitiça sua musa.
O poeta se transforma em cavaleiro medieval
Conhece a "Idade das Trevas"
Conhece outros mundos.
Ouve vozes!
Risos!
Piadas!
E transforma tudo em poesia.
Surge nesse momento o legendário
" Dom Quixote de La Mancha".
Em busca de sua doce Lucinéia.
Tarefa árdua...
O poeta brota de dentro do cavaleiro
Em chamas, o seu amor brilha...
O herói
O santo
O guerreiro.
O alucinado, lutando contra sua própria imaginação
Algo estranho sai de seu íntimo
O chamam de louco...
Irreal...
Cosmopolita...
Alienado...
Algo o deixa a pensar
Em histórias de seres e personagens,
Desvendando os mistérios de sua amada.
Na visão de sua miopia.
No duelo contra sua utopia.


CLAUDEMIR O. SANTOS
17 de janeiro de 1993. CEI

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Projeto "Escritores de Araguaína". CEM Castelo Branco





Observando a necessidade de se desenvolver ações que resgatem os valores do Tocantins, em especial, de Araguaína, no campo literário e percebendo a riqueza das obras e a importância da difusão das mesmas, será desenvolvido no Centro de Ensino Médio Castelo Branco, o “Projeto Escritores de Araguaína”; tendo em vista, atender os desafios de educar dentro de uma perspectiva dinâmica e moderna.
O desenvolvimento deste projeto tem como objetivo, interpretar e analisar textos, tendo como objeto de estudo: contos, crônicas, poesias e sonetos de escritores da ACALANTO – Academia de Letras de Araguaína e Norte do Tocantins; conhecer as biografias destes e suas características literárias; além de realizar pesquisas utilizando subsídios tecnológicos como: TV Escola, Laboratório de Informática e Biblioteca desta U.E. e (re)criar produções textuais alusivas às obras lidas, fazer documentários, dramatizações, utilizando celular, filmadora, câmara digital, entre outros; pois estes são enfocados como meios de comunicação, expressão, informação e formação do cidadão contemporâneo.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

CONTATOS E LÍNGUAS

Contatos

Festas

E línguas

Um corpo dentro do outro



Almas gêmeas do desejo

Lábios rosados

Chega e me beija

Com o veneno do baton.



Embriago-me

Em loucuras e línguas.

O corpo chama

Atrai!!!



Lábios colados

Sedentos de mistérios

Seres amados

Viajando ...

Em “ Contatos e línguas”.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Lançamento do Livro "Duas Pátrias um só Coração"


Adquira o livro do professor Ângelo nas seguintes livrarias:
GEP e na Decolores. Ou pelo fone: 34128199

quinta-feira, 8 de outubro de 2009





contador gratis

quinta-feira, 23 de abril de 2009

ALGO ESTRANHO

Algo estranho acontece em meus pensamentos
Alguma coisa estranha quer me segurar,
Me apertar,
Me amarrar.
Algo estranho em meus sentimentos.
Amores... paixões...
O estranho amor que sabe amar.
O amor verdadeiro que encanta uma dama
Um cavalheiro... a realeza...a tristeza.
Os olhos desejosos do poeta,
Estranhamente enfeitiçou a sua musa.
O poeta transformou-se em cavaleiro medieval
Conheceu a "Idade das Trevas"
Conheceu outros mundos.
Ouviu vozes, risos, piadas,
E transformou tudo isso em poesias.
Surgiu nesse momento o legendário
" Dom Quixote de La Mancha".
Em busca de sua doce Dulcinéia.
A tarefa foi árdua...
O poeta brotava de dentro do cavaleiro
Em chamas, o seu amor brilhava...
O herói
O santo
O guerreiro.
O alucinado, lutando contra sua própria imaginação
Algo estranho sai lá do fundo do meu íntimo
Chama-me de doido... Irreal... Astral... Alienado...
Algo me deixa pensar...
Entro na estória de seres e personagens,
E começo a desvendar os mistérios de minha amada..

CLAUDEMIR O. SANTOS
17 de janeiro de 1993. CEI

sábado, 4 de abril de 2009

Aniversário da ACALANTO

A todos os amantes da Literatura fica aqui o convite da ACALANTO e de seus acadêmicos para o evento de seu 7º aniversário.
Haverá interpretação de poesias, dramatização de textos e lançamento de livros.
Compareça e leva sua família.

quarta-feira, 4 de março de 2009

QUADRO NEGRO

Penetrando na vastidão do escuro,
Não se encontrará uma sombra igual a tua.
Tocando um objeto no escuro
Terás de ter uma mão segura e observadora.
Dentro do quadro negro,
Nem a própria pessoa verá a si mesma,
Mas poderá, por alto se sentir.
O quadro negro não é uma pintura,
Não é uma solução para os problemas dos homens.
O quadro negro é uma pequena cadeia,
Onde seu corpo está solto,
E sua mente presa.
Presa, por seu subconsciente,
Desprotegido e inseguro.

Claudemir O.Santos
E-mail: claudemir41@hotmail.com
Blog: http://claudemiros.blogspot.com/
Site: http://www.claudemir.pro.br/

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

O tempo passa

O tempo passa...
As coisas passam...
Por cima das outras
A vida passa...
Não espere, Desfrute-a.
O Homem passa...
O tempo passa...
O mundo passa...
A dor passa...
A lavadeira lava/ E passa.
O homem passa...
Manda e desmanda.
E manda... E comanda
O tempo passa...
As verdades ficam,
Com elas: dúvidas e traições.
O Tempo passa...
Fere corações, acende paixões.
O tempo dá um tempo...
Para quem quer viver.
E passa...
E deixa livre o pensamento.
O jogador passa...
Dando a última cartada.
E passa... E pede para ficar.
Pede para sentir o tempo passar.
O tempo passa...
As pessoas passam...
E eu passo aqui meus momentos
Dando um tempo aos meus sentimentos.


Autor: Claudemir Oliveira dos Santos
Site: www.claudemir.pro.br
E-mail: claudemir41@hotmail.com